Como ter um Envelhecimento Saudável?

Atualmente nossa população conta com 8,6% de idosos, cerca de 20 milhões de brasileiros. A previsão é que nos próximos 10 anos esse número chegue a 32 milhões de pessoas. A expectativa de vida no país e aumentou muito, hoje é cerca de 75 anos e o envelhecimento é um fator relativamente novo. Nosso país não está preparado para oferecer as condições adequadas para o bem estar dos idosos. É preciso capacitar e formar profissionais de saúde para lidar com os problemas decorrentes da terceira idade.

A partir dos 40 anos, a chance de ter um envelhecimento saudável está ligado a hábitos saudáveis. A chegada à terceira idade muda nosso organismo, afetando os 5 sentidos: visão, audição, olfato, paladar e tato.O idoso tem menos imunidade e maior risco de infecção. Características pessoais, questões sociais, dificuldades de higienização e alimentação também influenciam. Para ter um envelhecimento saudável e prevenir doenças em idosos, é preciso manter uma alimentação equilibrada, com frutas, verduras, leite e vitaminas. Exercício físico é importante para aumentar força e massa muscular, evitando quedas e lesões.

Parte dos problemas de saúde dos idosos tem origem genética, outra depende das exposições ambientais que nosso organismo venha a sofrer e uma terceira parte depende do nosso estilo de vida e escolhas.Outro aspecto que garante uma boa qualidade de vida é a integração social do idoso. As relações pessoais que ele conseguiu manter, o trabalho e as condições financeiras estão diretamente ligados ao envelhecimento saudável e à reabilitação da capacidade funcional. Um idoso saudável tem sua autonomia preservada.

Segundo o Ministério da Saúde, a principal causa de morte em idosos são as doenças do aparelho circulatório, como derrame, infarto, hipertensão arterial, diabetes e insuficiência cardíaca. Em seguida são tumores e doenças do aparelho respiratório, como pneumonia, enfisema pulmonar e bronquite crônica. Casos de câncer em idosos são mais comuns em pessoas com mais de 55 anos, pois o organismo está exposto a substâncias nocivas há mais tempo, como fumo, comida gordurosa e industrializada, alta ingestão calórica e obesidade. Os mais comuns tipos de câncer em idosos são os de próstata, mama e pulmão. Grande parte pode ter chance de cura quando tratada precocemente, daí a importância do acompanhamento médico.

Outro problema frequente é a depressão em idosos. A forma como lida com situações pertinentes à idade como aposentadoria, viuvez, perda de amigos e parentes, alterações na dinâmica familiar, mudança de residência e dificuldades funcionais influencia diretamente no bem estar do idoso. A depressão em idosos pode criar dependência e incapacidade na realização de suas atividades diárias.

Outras doenças comuns em idosos como derrames, pneumonia, infecção urinária, osteoporose, glaucoma, Parkinson e Alzheimer devem ser tratadas desde o início, pois afetam diretamente na qualidade de vida dos idosos. Quando se vive mais, maior a chance do idoso sofrer de uma doença crônica, daí a preocupação para que haja controle e prevenção.

De forma geral, não há grandes segredos em relação ao que deve ser feito para garantir um envelhecimento mais saudável. Imunização, diagnóstico precoce, integração social e mudanças de estilo de vida são, juntamente com os medicamentos, as principais intervenções que os geriatras propõem. Alimentação saudável para idosos, atividades físicas, acompanhamento médico periódico para diagnóstico precoce e tratamento adequado, descanso e lazer apropriados, cultivo de bons pensamentos e relações sociais, além da estimulação da mente.