Cuidados de Enfermagem com Idosos

Com o aumento da longevidade da população idosa, as casas de repouso e os profissionais de saúde se atentam ao fato de que o processo de envelhecimento se dá de forma diferente em cada pessoa. Essas particularidades têm um grande impacto sobre os cuidados especiais com o idoso, onde um tratamento individualizado é fundamental.

O primeiro passo é analisar o perfil e histórico de cada idoso que será tratado, pois nessa faixa etária, o conceito de estar doente muda. Mesmo sofrendo de doenças crônicas, como pressão alta e diabetes, enquanto estiverem controladas, nem limitarem sua funcionalidade, o idoso é considerado saudável.

Quanto mais elevada a idade, menor a quantidade de idosos que integram a categoria dos considerados saudáveis, sendo que boa parte desse grupo seja beneficiada por uma genética favorável. Entre as pessoas que sofrem de doenças crônicas, que foram tratadas e sobreviveram às sequelas, embora com limitações funcionais e perda na qualidade de vida, os sintomas e sinais de outras enfermidades costumam ser atípicos, o que dificulta e atrasa o diagnóstico correto. Isso acaba retardando também o início da terapia adequada, um fato bem perigoso em se tratando de pessoas já fragilizadas e vulneráveis. O impacto disso no bem-estar e no controle de outras doenças é significativo, pois idosos deprimidos aderem menos ao tratamento medicamentoso, com evidentes prejuízos no controle das suas doenças.

Devido ao comprometimento de suas capacidades, os idosos mais fragilizados são os que demandam acompanhamento especial e contínuo. São os que mais precisam de cuidados de enfermagem, desde o ambiente físico ao preparo das equipes médica e assistencial, incluindo acompanhamento 24h no hospital, quando necessário.

O objetivo primordial dos cuidados de enfermagem com idosos é atentar às necessidades básicas, à dependência e ao bem-estar do idoso, tanto na saúde quanto na doença. Todos os profissionais envolvidos neste trabalho de ajuda ao idoso devem atuar, também, junto a seus familiares, apoiando-os nas decisões, ajudando-os a aceitar as alterações físicas advindas de doenças próprias da idade.

Idosos dependentes, debilitados e com maior risco devem ser avaliados de maneira mais específica com o uso de escalas para estabelecer com maior exatidão seu grau de vulnerabilidade. Também são fundamentais procedimentos e vigilância redobrada para evitar acidentes e má administração medicamentosa.

O idoso pode apresentar vários problemas que levam ao comprometimento da sua reabilitação, como desânimo, depressão e crises de choro, muitas vezes observados durante os cuidados de enfermagem. É de extrema importância que os profissionais sejam sensíveis para detectar possíveis problemas, interagindo com o idoso, com a família e os demais membros da equipe.

Além disso, cabe ao cuidador do idoso dar atenção, passar tranqüilidade e proporcionar o melhor para o paciente, com calma e segurança. A equipe de saúde deverá tratá-lo com amor, carinho, respeito, paciência e chamá-lo pelo nome, pois isso fortalece a empatia entre o idoso e o seu cuidador.

Assim, o ato de cuidar pode ser entendido como uma atitude de constante preocupação, responsabilidade e envolvimento com o semelhante. Soma-se à isso os valores de solidariedade, respeito, afeto e compaixão. Isso só pode ocorrer com uma boa dinâmica terapêutica entre o profissional, o idoso e seus familiares.

Os cuidados de enfermagem são fundamentais no cuidado do envelhecimento, pois muito mais importante que acrescentar anos à vida é acrescentar vida aos anos. São muitos os cuidados que o paciente idoso requer. A família, as  casas de repouso e os profissionais de saúde precisam estar preparados para lidar com esse público tão especial.

cristina_aguiar

Cristina Aguiar

Cristina Aguiar é publicitária, geminiana e chocólatra. Graduada pela Faculdade Integrada Cantareira, atua como designer gráfica na Gráfica Riomar. Escreve em blogs e sites. Interessa-se por artes e pelo SER humano.