Pneumonia em Idosos

A Pneumonia é uma inflamação dos pulmões, causada por vírus, bactérias, produtos químicos ou alérgenos. A Pneumonia em Idosos é uma das principais causas de internação hospitalar em todo o mundo, nas pessoas dessa faixa etária. E devido às características específicas dos pacientes idosos e ao aumento da incidência com o avançar da idade, deve ser tratada com muita atenção, pois pode levar à morte.

Os sintomas da pneumonia em idosos mais comuns são febre alta, tosse prolongada, dor no tórax, alterações da pressão arterial, e principalmente, confusão mental, mal-estar generalizado e falta de ar. A secreção de cor amarelada ou esverdeada também é outro indicador.

A pneumonia em idosos não gera esses sintomas com muita freqüência, e mesmo a radiografia pode mostrar poucas alterações. Nos idosos é mais comum a queda do estado geral, redução do apetite, desânimo e mudança do estado mental, mas a febre pode ou não estar presente. Dessa forma, vemos que o diagnóstico de pneumonia no idoso exige que se tenha um alto nível de atenção, pois costuma ser mais grave, disseminando-se mais frequentemente a infecção para o sangue. Por isso, o início do tratamento deve ser o mais rápido possível.

A própria idade superior a 65 anos aumenta o risco de pneumonia, não importa o estado de saúde da pessoa, mas há outros fatores que se associam à idade no aumento de risco da pneumonia em idosos, como a presença de outras doenças crônicas e uso de medicamentos que acabam baixando a imunidade.

Fumo, álcool, ar-condicionado, resfriados mal cuidados, mudanças bruscas de temperatura e alergias respiratórias também são fatores que provocam reações inflamatórias que interferem no sistema imunológico, facilitando a infecção por vírus e bactérias.

O envelhecimento provoca uma diminuição da força dos músculos que ajudam na respiração e na tosse, que é um mecanismo importante de proteção contra infecções. Nos pulmões, ocorrem mudanças na estrutura que acabam levando a uma menor tolerância aos esforços, fazendo com que o idoso fique a maior parte do tempo sem se exercitar. Todos esses fatores favorecem o acúmulo de secreções no pulmão, que se tornam propícios ao crescimento de bactérias causadoras da pneumonia.

Por isso, cuidar da saúde é fundamental para as pessoas idosas se prevenirem contra a doença. Consultar o médico regularmente, controlar a alimentação, não fumar, fazer atividades físicas com acompanhamento e manter vacinação em dia.

O tratamento da pneumonia no idoso pode ser feito em casa ou no hospital, dependendo do quadro clínico. Para essa definição, o médico que atende o paciente avalia os fatores de risco que indicam uma maior gravidade do quadro, principalmente se o paciente apresenta algum agravante gerado por outra doença crônica. Em alguns casos é necessária a internação. Há dois tipos de pneumonia, causada por vírus ou bactérias.

Os antibióticos são prescritos no caso de ser por bactéria, devendo ter tratamento iniciado o mais precocemente possível, pois essa conduta reduz o risco de morte por pneumonia. Nos casos de pneumonia por vírus, o tratamento com antibióticos não precisa ser feito, há apenas medicamentos que tratem os sintomas, como a febre, a dor, entre outros. Após o início do tratamento, espera-se que o quadro clínico melhore em três ou quatro dias, e os sintomas desapareçam entre sete e dez dias.

A internação hospitalar é necessária quando a pessoa é idosa, tem febre alta ou apresenta alterações clínicas decorrentes da própria pneumonia, tais como: comprometimento da função dos rins e da pressão arterial, dificuldade respiratória caracterizada pela baixa oxigenação do sangue.

A pneumonia nos idosos tem que ser acompanhada com muito mais atenção, muitas vezes com internação hospitalar, devido à gravidade do quadro clínico requerer muitas vezes aplicação de antibiótico via endovenosa. Não é incomum pacientes idosos com pneumonia serem encaminhados para receberem cuidados especiais na UTI.

cristinaCristina Aguiar é publicitária, geminiana e chocólatra. Graduada pela Faculdade Integrada Cantareira, atua como designer gráfica na Gráfica Riomar. Escreve em blogs e sites. Interessa-se por artes e pelo SER humano.