RISCOS DE ENVENENAMENTO ACIDENTAL EM IDOSOS EXISTEM E SÃO UM PERIGO

Quem convive com um familiar idoso sabe que cuidado nunca é demais. É grande o número de atendimentos médicos feitos a idosos causados por intoxicação caseira ou envenenamento acidental. Essas situações envolvendo idosos geralmente são causadas devido a confusão com medicamentos e embalagens sem rótulos. Devido aos riscos de envenenamento acidental em idosos, essa parte da população deve receber as mesmas preocupações dispensadas às crianças.

Intoxicação ou envenenamento acidental ocorrem quando uma substância tóxica é ingerida, inalada ou tem contato direto com pele, olhos, boca ou nariz. Essas substâncias tóxicas podem ser produtos de limpeza, remédios sem prescrição médica, drogas ilícitas, gases, produtos químicos e venenos de animais. Mas a intoxicação ou envenenamento acidental também pode ocorrer através de alimentos, cogumelos, plantas e até mesmo cosméticos. Produtos vencidos ou contaminados, superdosagem ou automedicamento também entram nessa lista. A verdade é que quase qualquer substância ingerida em grandes quantidades pode ser tóxica.

Mal estar, vômito, falta de ar, tremedeira, suor, fadiga, azia e dor pelo corpo são alguns dos sintomas de envenenamento, que variam de acordo com a gravidade da exposição, da idade da pessoa, da condição física e do tipo de substância ingerida.As situações podem variar entre mal estar, sérios danos ou morte. O diagnóstico é feito com base nos sintomas e informações recolhidas, mas em alguns casos são feitos exames de sangue e de urina.

Substâncias cáusticas ou irritantes danificam as membranas mucosas da boca, garganta, estômago, intestino e pulmões. O contato da pele com toxinas pode causar erupções cutâneas, dor e formação de bolhas. Exposições prolongadas podem causar dermatite e o contato dos olhos com toxinas pode causar dor, vermelhidão e perda de visão. Por mais leve que tenha sido a intoxicação, é bom levar o idoso ao médico assim que possível, para garantir que esteja tudo bem.

O que fazer diante de intoxicação ou envenenamento acidental

Alguns venenos possuem poucos sintomas visíveis, até já terem causado danos em órgãos vitais, como rins ou fígado. Os recipientes das substâncias tóxicas e todos os medicamentos que possam ter sido ingeridos pela pessoa envenenada devem ser guardados e entregues ao médico.

Em alguns casos, as pessoas intoxicadas precisam ser internadas, mas, em geral, a rápida assistência médica recupera a maioria por completo. O esvaziamento do estômago, através de indução ao vômito ou lavagem de estômago, não costuma ser indicado, pois raramente melhora o estado do paciente, pois remove pouca quantidade do veneno, podendo causar complicações sérias.O tratamento consiste no apoio à pessoa, evitando a absorção adicional do veneno e, por vezes, melhorando a eliminação da substância através da ingestão de carvão vegetal ativado, vendido em farmácias.O carvão entra no aparelho digestivo, impedindo que o sangue absorva o veneno, porém, não se une a álcool, ferro e vários produtos químicos domésticos.

Para evitar envenenamento acidental em idosos e crianças, é recomendado colocar rótulos bem evidentes nos produtos domésticos e guardar medicamentos e substâncias tóxicas em armários trancados.