É muito importante ficar atendo à Depressão em Idosos

A depressão em idosos é uma das doenças que mais atinge a terceira idade, seja de pessoas que residem ou não em casas de repouso. Nos cuidados com idosos, podemos observar que a depressão nos idosos varia de acordo com a situação vivida por cada indivíduo. Atinge desde aqueles que nunca tiveram a doença antes, como a quem já convive com a depressão ao longo da vida.

Para quem trabalha com tratamento humanizado para idosos, observa-se alguns fatores que contribuem para a manifestação da doença. Em idosos que nunca tiveram depressão, a doença está mais relacionada a dificuldades trazidas pelo envelhecimento em si, como limitações físicas, sintomas de demência ou de outras doenças graves, além de fatores emocionais, como uma aposentadoria ou viuvez. Em pessoas que lidam com depressão ao longo da vida, mesmo quando tratada ou não, pode haver indícios de que se tornou uma doença crônica anteriormente, mas agravada na terceira idade.

Em Idosos a Depressão é mais Intensa

A principal diferença entre a depressão em idosos e a que atinge os mais jovens é que é os sintomas são muito mais intensos nos mais velhos. Nos idosos não existem somente sintomas clássicos, como tristeza, angústia e crises de choro. A depressão em idosos começa com sinais como aparecimento de dores no corpo, falta de apetite, insônia, perda de energia, tendência ao isolamento e apatia.

Idosos que vivem em casas de repouso ou em instituição de longa permanência para idosos (ILPI), locais que possuem tratamento humanizado nos cuidados com idosos, têm acompanhamento de dedicados profissionais de saúde que, ao perceberem qualquer sintoma da doença, já iniciam o tratamento adequado. O maior perigo é justamente para idosos que vivem sozinhos, pois uma das maiores características da depressão em idosos é a tendência ao isolamento.

Causa da Depressão em Idosos

A depressão em idosos não tem uma causa específica, podendo ser desencadeada por diversos fatores, como afastamento da família, aposentadoria, falecimento do cônjuge, solidão ou limitações físicas causadas pela idade ou problemas de saúde como um AVC, infarto e doenças cardiovasculares, entre outras.

Além da qualidade de vida, a depressão em idosos pode interferir em outros aspectos, à medida que leva o indivíduo a diminuir cuidados essenciais consigo mesmo, como a prática regular de exercícios e manutenção de uma dieta saudável. Na nutrição de idosos, além das limitações físicas individuais e as causadas pela idade avançada, o emocional também é levado em consideração na avaliação. Além disso, é comum a depressão nos idosos dificultar o diagnóstico e o tratamento de outras doenças, como infarto, por exemplo, podendo desencadear agravamento.

Fatores Emocionais da Depressão em Idosos

Homens que passam por cirurgia de próstata que podem vir a ficar impotentes, mulheres na menopausa que experimentam a sensação de perda da libido e dor durante a relação, baixa autoestima, isolamento social ou até mesmo o cansaço trazido pela velhice, são fatores que podem mexer com o psicológico de forma determinante, causando um quadro de depressão no idoso.

É importante nunca considerar normais alterações no comportamento do idoso como isolamento, tristeza, mudança no apetite, apatia, alterações cognitivas e declínio funcional. Isso atrasa a busca por ajuda especializada e prejudica intensamente o tratamento da depressão no idoso. O envelhecimento normal é o envelhecimento saudável, e a família pode e deve oferecer ajuda ao perceber mudanças.

Na Casa de Repouso Mooca Bem Me Care, os moradores recebem acompanhamento psicológico e de saúde com uma equipe sempre atenta a possíveis alterações de comportamento. Através da terapia ocupacional e fisioterapia para idosos já existe esse trabalho de aumentar o bem-estar físico e emocional dos idosos.

Tratamento da Depressão nos Idosos

É mais comum que as mulheres sejam as primeiras a procurar ajuda em caso de suspeita de depressão em idosos. Para os homens, ainda há certa resistência. O tratamento da depressão em idosos une a combinação de medicamentos, psicoterapia e terapias ocupacionais, além de reabilitação física para idosos e retomada de atividades que contribuam para um papel social na comunidade. O objetivo é regatar o prazer de viver, através de cuidado humanizado em idosos, estímulo de convívio social e exercícios físicos, além dos cuidados com a saúde.

Os estímulos nos cuidados com idosos levam em conta as limitações físicas de cada pessoa. Há idosos que optam por aulas de dança, musicaterapia, artes manuais, viagens e passeios em grupo, jardinagem, culinária ou qualquer outra atividade que o distraia. Até mesmo um animal de estimação pode ser um bom estímulo no tratamento da depressão nos idosos. Outra coisa, nota-se que além dos cuidados de enfermagem para idosos, o acompanhamento da família é fundamental para o sucesso no tratamento, afinal, sentir-se abandonado nessa fase da vida é motivo de profunda tristeza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *